sexta-feira, 15 de maio de 2015

POR QUE SOFREMOS TANTO? (TÂNIA POLON)











Se vivêssemos para a unicidade seríamos mais felizes...

Essa dualidade emocional na qual insistimos em viver nos faz achar que a nossa felicidade depende de outra pessoa para que seja completa, e nos faz fugir da nossa própria individualidade e unicidade...

Se o nosso maior aprendizado é conhecermos a nós mesmos, acredito que vivemos numa dualidade constante por que sabemos o que verdadeiramente importa, mas não acreditamos e nem vivenciamos essa verdade...

Qual é o elixir da felicidade?

É compreendermos que somos deuses e devemos aprender a viver a unicidade a fim de sermos um só nesse grandioso mundo criado por Deus. Se somos filhos de Deus, somos reflexo Dele!

Se somos reflexo de Deus estamos nos preocupando sem necessidade com a felicidade, gerando um grande gasto de energia e retardando a nossa evolução, pois a nossa meta é atingirmos a unicidade e sermos um só com DEUS...

DEUS como o grande Sol Central e Centro Criador desse universo, não criaria pessoas para viverem tão pouco tempo, pois nossa vida na terra é curtíssima...

No universo do nosso Deus existem muitas moradas...

Isso quer dizer que a morte não existe e o que ocorre é uma transformação da nossa forma de vida...

Deixemos para trás essa roupagem que nos escraviza e voemos rumo a nossa liberdade que é a nossa verdadeira vida...

A tão conhecida por todos... A vida espiritual...

Deus nos criou Seres livres...

Pode até parecer ficção científica para você...

Mas como podemos explicar a origem dos sonhos tão reais? Os sonhos premonitórios que devemos nos lembrar... Ocorrem no nosso quase despertar para que não o esqueçamos... Esses sonhos são bênçãos divinas para tranquilizar a nossa alma aflitiva...

Por isso devemos acalentar nossos sentimentos e acalmar nossos pensamentos para que possamos construir uma vida cheia de plenitude e abundância para que não nos tornemos nossos maiores inimigos.

Sejamos sempre dóceis conosco!!!


15/05/2015

sábado, 9 de maio de 2015

TARDE – MADRUGADA (TÂNIA POLON)












Numa Tarde pueril
Comecei a imaginar fantasias de relevo
De relance
De enlace


Madrugada adentro
Cheguei a me transformar
Sou delírio
Sou estrada


Que caminha em redemoinhos
Rumo a lua
Rumo ao mar
Rumo ao nada


Nada que se parece pouco
Pouco que se parece nada
Pouco ou Nada

Mais que nos diz muito... 

Da Tarde... 

Da Madrugada...

09/05/2015

20 PENSAMENTOS (ECKHART TOLLE)

1) O momento presente é a coisa mais preciosa que existe... As pessoas não percebem que agora é tudo o que é, não exi...