quinta-feira, 29 de julho de 2010

PARA VIVER UM GRANDE AMOR (VINÍCIUS DE MORAES)






Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso - para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... - não tem nenhum valor.

Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro - seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada - para viver um grande amor.

Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

Para viver um grande amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fieldade - para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô - para viver um grande amor.

Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito - peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista - muito mais, muito mais que na modista! - para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs - comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica, e gostosa, farofinha, para o seu grande amor?

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto - pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente - e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia - para viver um grande amor.

É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que - que não quer nada com o amor.

Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva escura e desvairada não se souber achar a bem-amada - para viver um grande amor.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

TEMOS A LIBERDADE QUE QUEREMOS? (TÂNIA POLON)






Alguns pais educam seus filhos para serem meros espectadores na vida. Acredito que temos uma “liberdade” truncada. Como se nos falassem, faça o que estou mandando que será a pessoa mais livre que conhecerá. Como de fato poderemos crescer como seres humanos se não nos permitem ter as nossas próprias escolhas? Escolhas estas que nos fará conhecer nosso mundo exterior e interior.

Podem até nos dizer... “Eu sei o que é bom para você”, mas de fato quem sabe o que é bom para o outro? Quem sabe quais são as experiências que as outras pessoas precisam viver? Muitas realizações que são importantes para uma pessoa pode não ser para outra. O Ser Humano é tão complexo que até hoje se descobre coisas novas a respeito do próprio. Se os Seres Humanos não forem valorizados e respeitados integralmente, viverão uma vida inteira sem terem a possibilidade de construírem metas concretas e que lhes propiciem satisfação, alegria e amor pelas realizações em suas vidas.


Acreditar que as pessoas podem fazer o melhor é indicar-lhes o caminho que devem seguir, dotando-as de confiança e coragem, e permitindo-lhes que vivam o profundo processo de aprendizado. Ninguém sabe qual melhor cartilha de vida se adéqua ao seu estilo. Simplesmente vivemos a cada dia aprendendo com os erros e valorizando os acertos. Quando aprisionamos sentimentos alheios, tornamo-nos tão cruéis quanto qualquer ditador.


Mas essa liberdade tem um preço muito alto. Temos que estar preparadas para convivermos conosco e que nos conservemos felizes quando não tivermos ninguém ao nosso lado, que nos amemos de verdade ao ponto de aceitarmos nós mesmos. Temos que nos posicionar na condição de provedores das nossas despesas pessoais.


Qual é o nosso objetivo maior nessa existência? Não seria aprendermos a nos conhecer, a conviver conosco? Quem não consegue ficar sozinho consigo mesmo não poderá deixar florescer toda infinita sabedoria que se esconde dentro de si. O maior legado que Deus nos deixou foi esse sentimento chamado amor... O amor nos toca a essência, nos transforma em Seres fortes e frágeis ao mesmo tempo, nos enche de emoção, nos faz chorar de tanto sorrir. O AMOR é o sentimento que nos faz acreditar que viver a vida sempre faz sentido.


segunda-feira, 5 de julho de 2010

ALCANÇANDO SEUS OBJETIVOS (TÂNIA POLON)






Aprendi a duras penas que a frase “O SILÊNCIO É DE OURO. A PALAVRA É DE PRATA”, usada pelos orientais consiste na mais real e pura realidade.

Quando vocês estão lutando em prol de um objetivo maior em suas vidas. Podem optar por dois caminhos:

Se quiserem obter êxito, preliminarmente devem se conservar em sigilo total e absoluto quando têm a intenção de correrem atrás dos seus maiores ideais de vida. Muitas vezes às pessoas dispersam energias quando comentam sobre seus segredos com outras pessoas. Quando divulgam para os quatro ventos que querem fazer isso ou aquilo. Energia esta que deveria ser utilizada corretamente, aplicada em função do seu objetivo maior.

Ou podem optar por divulgar para todos, tudo o que querem e sejam alvos de futuros cobradores de performances positivas. Muitas vezes lutam de forma incansável, mas não conseguem o sucesso almejado na primeira tentativa, ou não sabem o que de fato querem, ou não se empenham da forma como deveriam.

Quando não conseguem obter o êxito esperado, é imprescindível que façam uma avaliação interior e sejam os críticos mais ferrenhos que conhecem. É importante descobrirem aonde foi que erraram para que possam corrigi-los e nunca mais cometê-los novamente, e só assim poderão mudar o estado de derrota para vitória.

Todos têm a inteligência necessária para galgar espaços infinitos, basta que usem o maior instrumento que a vida lhes ofereceu. A mente. Órgão do nosso corpo capaz de nos levar até onde acreditemos. Se tanta gente acreditou além de suas possibilidades e atingiram o que almejaram. Todos podem chegar até onde quiserem. Basta que se utilize de instrumentos certos, como acreditar que é capaz, se empenhar ao máximo, utilizando-se de ferramentas necessárias para a concretização de fato dos concretos objetivos.

Os grandes inventores trabalhavam incansavelmente em seus projetos e idéias, apresentando os resultados obtidos ao público quando de fato conseguiam êxito. Portanto, O silêncio é de Ouro e a palavra é de prata.


sábado, 3 de julho de 2010

UM GRITO. UMA AFIRMAÇÃO. UM SUSSURRO (HELENA PAIX)







É que às vezes o que a gente sente é cansaço. Mero. Puro. Não-tão-simples cansaço.

Como aquele ‘montinho’ de sentimentos que a gente vai acumulando: um “deixa pra lá” uma hora; um “amanhã tudo será melhor” em outra, e às vezes um “tenho que ser mais forte” em outra hora.

E aquele ‘montinho’ vai crescendo.
Vai ficando mais alto e maior e vai tomando tanto espaço dentro da gente que uma hora não dá mais: acaba saindo: acaba virando grito, ou choro, ou sono, ou desespero.

E aí não resta outra: a gente grita, ou chora, ou dorme ou se desespera mesmo.

Mas o importante é que isso seja o que é: um cansaço.
Porque a questão do cansaço é que ele só existe até estarmos cansadas.
E estar é apenas um modo de se ficar: depois que passa, acaba.

E a gente pode voltar a não ter mais tanta necessidade de gritar ou chorar ou dormir ou se desesperar.

Eu sei que falo sempre:
Vai! Confia na vida!
Vai! Sê forte: você É forte!
Segue em frente! O amanhã é um dia camarada!
Não se esquece de sorrir! Há tantos motivos para você ser feliz!

E tudo é a mais pura verdade.
É no que acredito e em que me apóio.

Mas tem o tal do cansaço.
E ele vem: mais cedo ou mais tarde ele vem.

Porque a questão é que buscar sempre formas de crescer, de administrar a vida, de lidar com os problemas da melhor possível e, sim, de acreditar em dias melhores: tudo isso dá uma trabalheira!

Não há mágica, gente!
Ter fé dá trabalho!
Acreditar é um exercício!
Dos pesados!

E por isso mesmo que é tão difícil.
E por isso que são, infelizmente, poucas as pessoas que conseguem seguir fielmente esse exercício.

Muitas se matriculam na academia.
Fazem o maior sacrifício, pagam a mensalidade, mas na hora de continuar aquilo dia após dia... iihhhh. Não dão conta. Desistem. E lá voltam para as suas vidas sem tanto exercício.

A metáfora é válida: acreditar no que não podemos ver ou antever não é tarefa fácil. Saber que talvez se passe muito tempo até chegarmos a um resultado concreto, que pode ser visto e sentido, não é fácil. Por isso nem dá para culpar quem desiste pelo meio do caminho.

Mas... tem um negócio aí em ti, sabe?
Dentro do teu peito, ali junto do coração, tem um negócio que fica te pedindo respostas: que fica querendo um pouco mais de segurança: que fica insistindo em uma solução.

É esse negócio, que nada mais é do que você em sua forma mais pura e real, que precisa sim que você tope o desafio desse exercício.

Chamaremos de “exercício de ser-se”, está bem?

>> Mas, Helena, exercício de ser o quê?

Ah!
Exercício de ser TUDO o que você pode ser!
Exercício de enxergar a famosa luz no fim do túnel.
Exercício de na hora do desespero absoluto, ainda assim, ser capaz de acreditar em uma reviravolta da vida.


Exercício de encher poderosamente o pulmão e perceber que você está absolutamente viva!


Exercício de perceber que não há ninguém igual a você em um planeta de mais de 2 bilhões de habitantes!
Então como você poderia ter a pequenez de imaginar que você não faria falta? Ou que você não é valiosa? Ou que a tua vida não tem um propósito? Ou que você não é exatamente como deveria ser?

Exercício de ser-se!
Deve ser praticado todos os dias.

E aí, quando a gente cansa, a gente se deixa estar cansada por uns diazinhos.
Não tem problema.
Você não precisa ser forte sempre.

Mas aí, depois desses diazinhos, você sacode a poeira, levanta, e começa de novo o exercício!

Cabeça baixa só vê o chão em que se está pisando: não vê os chãos que existem mais à frente.

E é necessário que você saiba disso: são tantos os chãos!
São tantos os caminhos!
Mesmo que você ache que não: são muitos os caminhos.

A questão é que cada caminho tem seus riscos e desafios: cada caminho tem uma coleção de medos e inseguranças para nos dar de brinde.

E aí, às vezes a gente escolhe aquele caminho cujos medos e inseguranças são menores.
Mas menores são também as possibilidades.

Tudo, eu repito, tudo que seja absolutamente incrível e até ambicioso traz como brinde quantidades gigantes de medos e inseguranças.

É que eles são proporcionais, sabe?
É a pegadinha da felicidade para nós: “Ó, te ofereço um caminho aqui, no fim dele você talvez encontre tudo o que quis, mas eu não te dou certeza de nada! Não te garanto nada! Está avisada!”

É difícil sim.
Como escolher o que é tão incerto?
Como saber o que é melhor?

Não há outra resposta: EXERCITANDO-SE!


"O que for a profundeza do teu ser, assim será teu desejo.
O que for o teu desejo, assim será tua vontade.
O que for a tua vontade, assim serão teus atos.
O que forem teus atos, assim será teu destino."

quinta-feira, 1 de julho de 2010

FRASES (MACHADO DE ASSIS)






“Deus, para a felicidade do homem, inventou a fé e o amor. O Diabo, invejoso, fez o homem confundir fé com religião e amor com casamento”.


“Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito”.


“Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar”.


“O dinheiro não traz felicidade — para quem não sabe o que fazer com ele”.


“Não é amigo aquele que alardeia a amizade: é traficante; a amizade sente-se, não se diz”.


“Lágrimas não são argumentos”.


“Creia em si, mas não duvide sempre dos outros”.


“Não levante a espada sobre a cabeça de quem te pediu perdão”.


“A mentira é muita vez tão involuntária como a respiração”.


“A vida é cheia de obrigações que a gente cumpre por mais vontade que tenha de infringi-las deslavadamente”.


“A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal”.


“Está morto: podemos elogiá-lo à vontade”.


“Eu não sou homem que recuse elogios. Amo-os; eles fazem bem à alma e até ao corpo. As melhores digestões da minha vida são as dos jantares em que sou brindado”.


“Pensamentos valem e vivem pela observação exata ou nova, pela reflexão aguda ou profunda; não menos querem a originalidade, a simplicidade e a graça do dizer”.



“Livros e flores
Teus olhos são meus livros.
Que livro há aí melhor,
Em que melhor se leia
A página do amor?

Flores me são teus lábios.
Onde há mais bela flor,
Em que melhor se beba
O bálsamo do amor?”



“Suporta-se com paciência a cólica dos outros”.


“Palavra puxa palavra, uma idéia traz outra, e assim se faz um livro, um governo, ou uma revolução, alguns dizem que assim é que a natureza compôs as suas espécies”.

PENSAMENTOS (CLARICE LISPECTOR)






“Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento”.


“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro”.


“Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho”.


“Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.


Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca”.


“Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós”.


“E se me achar esquisita, respeite também. Até eu fui obrigada a me respeitar”.


“Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil”.


“Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar”.

20 PENSAMENTOS (ECKHART TOLLE)

1) O momento presente é a coisa mais preciosa que existe... As pessoas não percebem que agora é tudo o que é, não exi...