segunda-feira, 23 de maio de 2016

GAROTAS SM &TM (KIKA MENDONÇA)





Dia 23, outono em maio às 22:30h ocorre o encontro de SM & TM num papo de Yahoo Messenger. 

TM era segredos. 

SM era Senhora. 

Rolava muita conversa, TM curiosa insistia para SM se apresentar. 

A noite adentrava, SM não queria perder a chance de seduzir TM. 

Entre verbos, sinônimos e adjetivos, TM queria mais uma prosa, desta vez, sem rodeios, queria esquadrinhar SM. 

Sua bolsa é Monica Sanches? 

Seu sapato é Corello? 

Seu perfume é Gabriela Sabatini? 

SM virou o jogo: Sua Batata frita é McDonald’s? 

Seu Frango à passarinho é Degas? 

Seu Kibe é Almanara? 

Seu Café é Frans? 

Seu Shop é BarBrahma? 

Ah!!! 

SM pegou forte. 

Apertou. 

Cercou. 

TM saiu da toca: Ave Maria, rogai por nós os pecadores, na voz de Celine Dion. 

SM não entendeu. 

É um pedido de socorro? 

Então lá vai o pedido de SM: Ando por aí querendo te encontrar, em cada esquina paro em cada olhar, na voz de Cássia Eller. 

Vou trabalhar, quero dormir, escreveu a frase esparsa TM, traduzindo sua vontade de ficar. 

SM, sorrateira, escreveu: Amanhã será um lindo dia, na mais perfeita harmonia. 

Te espero. 

TM, em inglês escreveu Good Night. 

SM respondeu Kiss me my Love.


domingo, 8 de maio de 2016

A RAZÃO DE SERMOS MÃES (LANA NÓBREGA)








A razão de fazermos parte do caminho uns dos outros. 


O motivo pelo qual vidas se cruzam, se interligam, se relacionam.


Os vínculos que criamos e as pessoas que carregam nelas o nosso coração.

Eu sempre desejei ser mãe. 

Aliás, acho que sempre fui/sou um pouco mãe de todos que cruzam o meu caminho. 

É meu isso. 

Sou caranguejo, gosto de me aconchegar e gosto de colocar sob a asa também. 

Proteger é sempre o meu primeiro impulso.

Mas nada na vida foi e é mais transformador do que enxergar em outro ser humano algo tão forte à ponto de saber que estão predestinados à serem um do outro. 

A ponto de saber que a partir dali sua vida jamais será a mesma, que você jamais poderá existir sem saber que aquelas pessoas estão bem e felizes.

Assim é com meus filhos. 

Tenho a plena convicção de que nasci para ser mãe deles e que eles nasceram para serem meus filhos. 

A existência deles me emociona e me transborda e por eles já efetuei imensuráveis transformações em mim e na minha forma de interpretar a vida. 

E por meio deles, sigo me transformando sempre.

Meus filhos me melhoram, me aprofundam, me expandem.

Ser mãe é ter o exclusivo privilégio de ter participação especial na existência de outro ser humano.

Ocupar esse espaço tão íntimo, tão privilegiado, tão benevolente é de muita responsabilidade. 

Entender até onde vai o que é seu e aonde começa o outro, receber as transformações que a vida daquele ser operará em você, estar aberta ao presente de olhar a vida a partir daqueles outros olhos é de uma benevolência imensurável.

À eles eu sou gratidão e emoção sempre.
Por eles eu sou capaz de tudo, até de sentir saudades sempre.

Por seus sorrisos me fazerem sorrir, com eles aprendo um amor que vai para além de qualquer controle: quero-os sempre livres, a serem quem quiserem ser, a voarem os voos que seus corações desejarem.

Eles me ensinam inclusive que às vezes não há só uma mãe na vida de uma pessoa: meus filhos são filhos de várias mães.

Cada uma delas com sua importância, cada uma delas com sua participação na história deles, cada uma delas com a sua presença e relevância.

Por me ensinarem o desprendimento sempre, meus filhos são terreno sagrado para mim: operam transformações na esfera mais difícil de ser transformada, a do coração.

Não acho que mereço a beleza que eles me proporcionam, mas recebo com uma gratidão que ultrapassa quaisquer palavras o presente que é ser uma de suas mães.

Porque não importa aonde eu esteja e a distância que possa existir entre nós, saber que eles estão no mesmo mundo que eu e que eu posso no meu peito chamá-los de filhos já me um presente que traz significado à minha existência e imensurável beleza aos meus dias.

Não acho que eles ainda entendem o quanto me influenciam e o quanto me transformam todos os dias, mas não tem problema não saberem. 

Porque um dia sei que dentro das vivências deles, eles também serão tocados por outros seres humanos que revolucionarão suas existências.

Obrigada, meus amores, por serem essa força revolucionária em mim. 

Obrigada por me fazerem entender o presente que é ter uma participação tão privilegiada na vida de outro ser humano. 

Obrigada por me fazerem mãe.

Amo vocês com todas as células do meu corpo e com toda a expansão da minha alma. 

A existência de vocês me faz grata à vida.

MÃE NOALANDÊSA (KIKA MENDONÇA)







É mãe. 

Ela é pintada no quadro em vértices, côncavos e convexos. 

Suas formas emolduram o amanhecer e a penumbra no décimo segundo de um prédio edificado. 

Suas preces são de mármore em resenhas na parede. 

Seus versos são palavras de amor para suas filhas. 

Quero ver minhas filhas crescerem, quero ser mãe, amiga e confidente. 

Oh! 

Pois sim! 

Ela é a mãe que fala o que vem à cabeça, não importa a rima, a sonata a ária. 

Ela faz prova de roupa e chama a costureira numa gradação espontânea: dona tecida, dona linha, dona agulha. 

A mulher olha por cima dos óculos numa rajada de sorrisos, e não bastava a entoação daquela sonata doida, ela ainda abre a boca pra chamar dona máquina; evidente que interrompi esse monólogo intrépido. 

Duas semanas dali, na loja de decoração ela chamou a recepcionista de dona toalha. 

Eu parei! 

Nossa! 

Será nascida da Excêntrica Família de Antônia, o filme na minha visão? 

Será nascida do “Minha Mãe é uma Peça”, o filme na visão de suas filhas? 

Ela é por ela mesma. 

A Nerd arruma os óculos, deita de bruços e atira o touch na tela do notebook , do tablet, do smartphfone, expressa a interatividade na sua rede social. 

Compartilha, publica, curte. 

Fala de SQL, Infopath e SharePoint. 

Transfere dados por blutue, como ela chama a aplicação de transferência dos smarts, conversa em tempo real por áudio do whatsApp, e não desafina em nada no parecer do elevador ao ver a mulher desafeminada. 

Lembra da Giovanna Antonelli e diz que é Antena da novela a Regra do Jogo. 

Risadas a solta, ela se manifesta dizendo: vou dar minha opinação a respeito do assunto. 

O vocabulário é o Noalandês, mistura daquele 1% de holandês e 99% de Noa, seu nome artístico. 

Você é mãe Noalandêsa. 

Você é proa, você é mastro, você é uma saga em capítulos.


Eu, assino essa crônica pelo seu dia, hoje. Na minha visão. Por mim mesma. Kika Mendonça.

FELIZ DIA DAS MÃES (TÂNIA POLON)









FELIZ DIA DAS MÃES!!!



Razão infinita da nossa existência...

Amor incondicional...

Felicidade que não tem limites...

MÃE...

São três letras com um significado capaz de adocicar os mais rebeldes corações...

M: MAIOR
A: AMOR
E: ENCONTRADO

Ser mãe é emprestar o ventre para que se cumpra os desígnios de Deus!

Ser mãe é despir-se das próprias vontades em prol de um amor maior...

Ser mãe é o mais doce e belo momento na vida de uma mulher...

É aprender que a vida é o bem mais valioso da própria existência da vida...

É poder ensinar caminhar por caminhos retilíneos...

Nenhuma mãe pode viver a vida de um(a) filho(a), mas pode mostrar o melhor caminho a ser seguido...

Ser mãe:

É amar...

É educar...

É participar...

É ensinar...

É valorizar...

É brincar...

É sorrir...

É chorar...

É dar o exemplo...

É estar presente em todos os momentos da vida dos filhos para que esses momentos durem para sempre!!!


Feliz Dia das Mães a Todas as MÃES de corpo, alma e mentes!!!

20 PENSAMENTOS (ECKHART TOLLE)

1) O momento presente é a coisa mais preciosa que existe... As pessoas não percebem que agora é tudo o que é, não exi...